quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Dor agridoce


Estava dormindo e ouvi um barulho. Entrei naquele estágio do sono confuso e delicioso, onde você está com alguns sentidos em alerta mas ainda está meio dormindo, meio sonhando.
E foi aí que ouvi o barulho familiar: passos de chinelo, cuidadosos,se arrastando até a porta do quarto, abrindo a porta, saindo para o corredor e fechando a porta cuidadosamente, para não fazer barulho.
Meio que sorri por dentro, sentindo uma ternura sem fim por minha mãe e seu cuidado para não me acordar. Pensi que ela já estava indo fazer seu café.

Foi aí que saí desse estado, meio assustada/ surpresa ao perceber que os passos não eram dela, e sim do meu marido- igualmente cuidadoso comigo. E meu coração se apertou. Não por nada, já que sou muito feliz aqui com ele e minha mãe está viva e cheia de saúde- e mora há uns 15 minutos de mim. Mas por que o tempo passa rápido, certas rotinas já não existem mais, e algumas partes da gente ainda são criança, sentem como criança, como a filha, a menina.

Uma dor agridoce.

Acho que tem a ver com Natal, que Natal é meio isso, uma alegria melancólica- ou uma melancolia alegre? Natal é conversar com um velhinho na fila da padaria e lutar pra não chorar porque ele faz lembrar sua avó.

Natal é lembrar do seu avô que fazia propagandas de Panetonne na Tv. É ir procurar no Youtube e não achar nada, não achar rastro, o registro se foi como ele se foi.

É não ver ou viver mais aquilo, mas sentir tão nítido no coração que até dói.
É ser feliz pelo que se tem, mas sentir falta do que já se foi.

4 comentários:

Priscilla disse...

Melissa, essa coisa que vc postou é algo que venho com medo de sentir. Estou noiva e dentro em breve sairei de casa e sei que perderei mtas das mordomias que tenho e mimos (lógico que nosso amor nos dá, mas é diferente de pai e mãe).

Apesar disso sabemos que faz parte da jornada da vida.Temos que cumprí-la.

Ah, postei no meu blog a saga do reveillon quanto as cores das roupas, como te falei. Está lá nas postagens de janeiro. Se puder dar uma passadinha...

bju

Tefy disse...

Melissa, aqui é Tefy, da TUDO... tentei te add no orkut como amiga, porque precisava falar com você.

Não é desgraça, não é nada disso. Você é sensitiva, vai me entender.

Não curto me expor, mas aqui é o único jeito que eu encontrei de falar com você um pouco mais 'reservadamente', melhor do que na comunidade..

Enfim, ha mais ou menos uma semana eu fui dormir muito mal, muito mal mesmo. E sonhei que, eu chorando muito, batia na porta de uma casa, uma casa tão acolhedora que me fez vontade de tentar entrar.

E a dona da casa era você.

Esse sonho se repetiu ontem novamente, mesma coisa, eu andando, sem rumo, vejo uma casa, tão acolhedora, bato na porta e é você.

Por favor, se possível.. me aceite no orkut pra eu mandar detalhes via depo, ou então me manda um e-mail: ste.pequenininha@yahoo.com.br

obrigada pela atenção! Um beijão lindona!

ROBERTO LIMA disse...

Mellisa por favor continue com este Blog,ELE é muito legal.Bjss

Fabi disse...

Que gostoso de ler...
Acabei de casar, rs, e tem dia que acordo pensando que estou em casa... ops, na casa da minha mãe.
Difícil me acostumar com isso...
Beijos